Nem advogado de Youssef acredita na Veja
O expediente é previsível e manjado: às vésperas da eleição, a revista “Veja”, da Editora Abril, lança uma edição com alguma denúncia “bombástica” contra candidaturas do Partido dos Trabalhadores. Em 2002 e 2006, contra Luiz Inácio Lula da Silva; em 2010 e, agora, em 2014, contra Dilma Rousseff.
Até aí, nenhuma novidade.
Ocorre que, na incursão mais recente, “Veja” decidiu encomendar uma matéria de vida útil curtíssima: o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, teria dito a um ainda misterioso delegado que Lula e Dilma participavam de esquemas de corrupção da Petrobras.
Imediatamente após a divulgação da capa, a revista foi desmentida por ninguém menos que o advogado do doleiro, Antonio Figueiredo Basto.
O advogado de Youssef confirmou que o doleiro prestou depoimento à Polícia Federal de Curitiba na última terça-feira, mas disse não ter conhecimento da informação citada pela revista.
“Eu nunca ouvi nada que confirmasse isso (que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras). Não conheço esse depoimento, não conheço o teor dele. Estou surpreso”, afirmou Basto ao jornal “O Globo”.
Youssef prestou muitos depoimentos no mesmo dia, sempre acompanhado de advogados da equipe de Basto, mas ninguém ouviu uma só palavra daquilo publicado pela “Veja”.
“Conversei com todos da minha equipe e nenhum fala isso. Estamos perplexos e desconhecemos o que está acontecendo. É preciso ter cuidado porque está havendo muita especulação”, alertou o advogado.
Ainda de acordo com “O Globo”, o depoimento citado pela revista não tem relação com aqueles outros prestados à 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, divulgado anteriormente.
Da Redação da Agência PT de Notícias