sábado, 29 de novembro de 2014

ROBERTO GÓMEZ BOLAÑOS, O CHAVES, MORRE AOS 85 ANOS NO MÉXICO

MORRE UM DOS MAIORES COMEDIANTES DA HISTÓRIA


Roberto Gómez Bolaños, criador do Chaves, durante entrevista ao apresentador Carlos Massa, em 2011



O comediante Roberto Gómez Bolaños, criador do Chaves, morreu na tarde desta sexta-feira (28), de parada cardíaca, aos 85 anos. A morte do ator e escritor foi confirmada pela emissora mexicana Televisa, que interrompeu a programação para exibir um especial com os melhores momentos da carreira do humorista.
Emissora de Chaves no Brasil, o SBT emitiu nota oficial e exibiu techo do especial Obrigado Chaves, que estava pronto havia um ano. No especial, a rede contou história de Bolaños. Na nota oficial, o SBT lamentou "a perda do grande artista que faz parte da programação da emissora há 30 anos".


Bolaños vivia isolado em Cancún, cidade litorânea do México, com a mulher, Florinda Meza, a Dona Florinda da série Chaves. O comediante tinha problemas respiratórios e de locomoção, e estava desde o final do ano passado respirando com um cilindro de oxigênio.
Nascido em 21 de fevereiro de 1929, Bolaños começou a carreira artística em 1953, como redator publicitário para rádio e TV. Redigiu para a dupla de humoristas Viruta e Capulina (Marco Antonio Campos e Gaspar Henaine) antes de ter o seu próprio programa.
Roberto Gómez Bolaños também escreveu para o cinema e recebeu do cineasta mexicano Agustín P. Delgado o apelido de Chespirito, alusão ao escritor inglês William Shakespeare (1564-1616).
Em 1968, ganhou seu próprio humorístico, Los Supergenios de la Mesa Cuadrada, pela TIM (Televisión Independiente de México). Além de escrever, atuou como Doutor Chapatín e contracenou com três atores que futuramente fariam parte do elenco de Chaves: Maria Antonieta de las Nieves, Ramón Valdés e Rúben Aguirre.
Chapolin estreou em 1970 e Chaves no ano seguinte, ainda como quadros do programa Chespirito. As séries bateram recordes de audiência e viraram programas próprios em 1973. A Televisa tentou contratar Bolaños, mas após a recusa do comediante decidiu comprar a emissora onde ele trabalhava e ampliar a rede.
Os programas de ​Chespirito ficaram no ar durante quase 30 anos ininterruptos no México, e saíram do ar em 1995. Nos anos 1980, Silvio Santos comprou novelas mexicanas da Televisa e recebeu Chaves e Chapolin como "brinde". As séries estrearam no SBT em 1984 e estão até hoje no ar, com até 10 pontos no Ibope da Grande São Paulo.
Leia a nota oficial do SBT:
"É com muito pesar que a direção do SBT confirma o falecimento do ator Roberto Bolaños, o Chaves, na tarde desta sexta-feira (28).  O SBT lamenta a perda do grande artista que faz parte da programação da emissora há 30 anos. O SBT presta uma homenagem ao eterno Chaves , exibindo o especial “Obrigado Chaves”, logo após Chiquititas.
“Lamentamos a perda do ator e deixamos nossos sentimentos aos familiares, amigos e admiradores de Roberto Bolaños”.

Personalidades dão adeus a Roberto Bolaños


Edgar Vivar (o Seu Barriga de 'Chaves'), no Twitter

“Roberto, você não se foi, permanece em meu coração e no coração de muitos que você fez felizes. Adeus, Chavinho, até sempre.”

Maria Antonieta de las Nieves (a Chiquinha de 'Chaves'), no Twitter

 
"Obrigada por ter feito tanta gente feliz e pelos momentos maravilhosos que compartilhamos com o grupo. Descansa em paz, Roberto."

Tatá Werneck, comediante, pelo Twitter

 
“Pelo amor de Deus! Luto oficial! Meu maior ídolo! Meu amor! Minha grande inspiração! Chaves! Caraca, tô chorando que nem uma idiota.”

Rafael Cortez, comediante, pelo Twitter

 
“Morreu o Chaves! O que era bonzinho, o da TV. Tá entrando no barril no céu debaixo de croques do Seu Madruga nesse momento! Valeu, Roberto!”

Ivete Sangalo, cantora, no Twitter

 
“Roberto Bolaños, tão incrível com o seu personagem Chaves, me fez sorrir muitas vezes. Lamento tanto.”

Valesca Popozuda, cantora, no Twitter

 
“E fica um vazio no coração, né? O Roberto Bolaños, o eterno #Chaves, faleceu, meus sentimentos à família dele, e que ele descanse em paz #RIPChaves.”

Enrique Peña Nieto, presidente do México, no Twitter

 
“Lamento profundamente o falecimento de Don Roberto Gómez Bolaños, Chespirito. Minhas condolências à sua família. O México perdeu um ícone, cujo trabalho transcendeu gerações e fronteiras.”


Uol Notícias e Veja