quarta-feira, 4 de março de 2015

LISTA DE POLÍTICOS NA LAVA JATO VIRA ALVO DE APOSTAS


A EXPECTATIVA PELA DIVULGAÇÃO DA LISTA DE POLÍTICOS ENVOLVIDOS NO ESQUEMA NO ESQUEMA DE CORRUPÇÃO DA PETROBRAS TUMULTUO     

A expectativa pela divulgação da lista de políticos envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras tumultuou a rotina dos congressistas, provocou uma onda de apostas sobre quem estaria na relação entregue ao STF (Supremo Tribunal Federal) e boatos sobre as ações do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot
Procurador-geral da República, Rodrigo Janot
Nas rodas de conversa, congressistas não escondiam a apreensão. Desde segunda-feira (2), parlamentares questionavam os jornalistas sobre os nomes que constariam na relação da Procuradoria.

Na reunião de líderes que discutia indicações para as comissões da Casa, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) recomendou aos partidos cautela para que não fossem escolhidos nomes que poderiam ser envolvidos no esquema. “O silêncio foi sepulcral”, contou.
Os dois principais personagens do mundo jurídico que atuam no processo, Janot e o ministro do STF Teori Zavascki, passaram o dia evitando jornalistas. Janot foi cedo à sede da Procuradoria, onde participou de uma reunião do Conselho Superior do Ministério Público.

Por volta das 13h, questionado sobre os processos, disse que, devido ao horário, os jornalistas deveriam se preocupar era com o almoço.
Zavascki passou a tarde na sessão da Segunda Turma do Supremo. Ele se irritou com a a presença de jornalistas em seu gabinete e no corredor que levava à sala do colegiado. Entre os ministros do STF, o único a se manifestar sobre o caso foi Marco Aurélio Mello, que defendeu o fim do sigilo dos processos da Lava Jato.
“Na administração pública, a mola-mestra é a publicidade, é o que viabiliza a eficiência, pelo acompanhamento da imprensa e dos cidadãos em geral”, disse.
Fonte: Folha de São Paulo