quinta-feira, 16 de julho de 2015

Pressão popular faz vereadores reduzirem salários para R$ 970

Pressão popular faz vereadores reduzirem salários para R$ 970


O projeto, com emenda, foi aprovado por 7 a 1 e passará por terceira votação amanhã...


A população lotou o plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Santo Antônio da Platina (PR) na tarde de ontem (15) para a votação em segundo turno do aumento salarial dos parlamentares da próxima gestão, e conseguiu um fato inédito: ao invés de dobrar os vencimentos dos atuais R$ 3,7 mil para R$ 7, 5 mil, como previa o projeto original, o salário caiu para R$ 970. O projeto, com emenda, foi aprovado por 7 a 1. A terceira votação está marcada para sexta-feira, às 17 horas.

Somente o vereador Sebastião Vitral dos Santos Furtado, o Santinho Furtado, votou contra o salário de R$ 970. Ele disse que a emenda que reduz os vencimentos drasticamente é demagógica, e que em todos os anos que atuou na política, nunca viu uma situação parecida, onde os vereadores recuam da própria proposta de dobrar o salário e ainda o reduzem para o mínimo.

Pelo projeto original, ou seja, sem emenda, os salários dos vereadores subiriam de R$ 3,4 mil para R$ 7,5 mil. Do presidente da Câmara iria de R$ 4.09 mil para R$ 8.5 mil. Do prefeito subiria de R$ 14, 7 mil para R$ 22 mil, e do vice de R$ 8,5 mil para R$ 13,5 mil.

Com a emenda aprovada nesta quarta-feira, os salários ficaram assim: vereadores R$ 970, presidente R$ 970,00, vice-prefeito R$ 970, e prefeito R$ 12 mil.

Ainda na sessão desta quarta, o presidente da Câmara Valdir Domingos de Souza anunciou que o projeto que previa o aumento do número de vereadores de 9 para 13, e que seria votado na próxima semana, foi retirado definitivamente. “Vamos continuar com apenas nove vereadores. O projeto está retirado”, afirmou.

Apesar da grande e barulhenta manifestação pública, o presidente da Câmara conseguiu se impor e, educadamente, dar continuidade à sessão. Alguns vereadores tentaram justificar a pretensão de dobrar os salários, mas as vaias encobriam suas vozes. O vereador Claudio Domingues, o Cação, aproveitou para “lavar a roupa suja” e entregou o vereador Francisco Faustino Proença Junior, o Chiquinho, de bandeja à população.
“Foi o vereador Chiquinho quem sugeriu subir os salários para R$ 7,5 mil. Só que depois, ele ‘amarelou’ e não apareceu para votar”, disse.

Cação também partiu para cima do vereador Aguinaldo Roberto do Carmo, dizendo que ele só sabe criticar o prefeito. “Ele só fala mal do prefeito, talvez seja porque está de olho na cadeira dele nas próximas eleições”, disse.

O vereador Chiquinho procurou argumentar dizendo que a Câmara tem suas regras e que é preciso cumpri-las. Ele também esboçou um elogio à atitude popular, mas nem assim escapou das vaias do publico presente.

O projeto que previa dobrar os salários chegou a ser aprovado em primeira votação, ocorrida em sessão extraordinária, na segunda-feira, 13. Mas a população não deixou barato e começou a se organizar através das redes sociais para impedir que o aumento fosse aprovado em segundo turno, que ocorreu no final da tarde desta quarta-feira. 
Informações são do Tá no Site.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.